Alynne Nunes, Advogado

Alynne Nunes

(4)São Paulo (SP)
99seguidores21seguindo
Entrar em contato

Sobre mim

Advogada na área educacional. Mestre em Direito e Desenvolvimento pela FGV DIREITO SP (2016). Entusiasta e praticante da advocacia inovadora: menos formalismos e comunicação mais próxima do cliente.

Principais áreas de atuação

Direito do Consumidor, 9%
Contratos, 9%
Direito Administrativo, 9%
Direito Médico, 9%
Outras, 64%

Primeira Impressão

(4)
(4)

4 avaliações ao primeiro contato

Direito Civil

Direito do Consumidor

Recomendações

(88)
Romildo Bomfim, Professor
Romildo Bomfim
Comentário · mês passado
Parabéns pelo artigo/reflexões, e não achismos. Escola "Sem" Partido (ESP) é uma aberração, é a antieducação. Se entendermos que educação (em qualquer nível) é para levar o educando a refletir, ter consciência crítica sobre as mais variadas temáticas. Só a criticidade, agudo senso crítico, nos liberta. Doutrinar passa obrigatoriamente pelo pensamento único, não alarga mentes. Doutrinação engessa, não facilita sinapses neurais, acomoda, mantém o status quo. Se há docentes que vão além do seu papel de desbravador da realidade (partidarizar suas aulas) não tenhamos dúvida que é uma parte ínfima. O que não podemos fazer, é jogar a água suja da bacia com o bebê junto. Pois, é dever ,sim, do docente, ir além de sua matéria formal. Ao explicar por exemplo, caso seja o desejo da turma, dos alunos, as diferenças entre os partidos de esquerda e direita, sem ser tendencioso, qual o problema de um professor falar sobre esse assunto? É como um docente de religião. Ele fala das mais variadas religiões, sem proselitismo. No entanto, se algum aluno perguntar por que, por exemplo, a Igreja Universal é famosa em roubar os seus fiéis, ele deve contextualizar, trazer as informações sobre o assunto, trazer a verdade. Outro exemplo: como foi a atuação da Igreja Católica na Idade Média, ou ao longo de sua história, que remonta ao período medieval? Enfim, não pode haver assunto tabu. É isso, exatamente o que quer o mentiroso, o falacioso ESP. Camuflar, tornar tabu especialmente os temas polêmicos, não discutir, não ir a fundo, seja qual for a temática; não tirar o véu, deixar o estudante no obscurantismo, na caverna (bem escura) do conhecimento. Assim, com o famigerado ESP, não se produz conhecimento crítico e de qualidade. Felizmente, tudo indica que o STF (tenho muitas críticas a essa Instituição) votará contra essa coisa.

Perfis que segue

(21)
Carregando

Seguidores

(99)
Carregando

Tópicos de interesse

(100)
Carregando
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

Outros advogados em São Paulo (SP)

Carregando

ANÚNCIO PATROCINADO

Alynne Nunes

Avenida Paulista, 1439, 1º andar, cj. 12 - São Paulo (SP) - 01311-200

(11) 97049-16...Ver telefone

Entrar em contato